Tema:

Autor(a): Vicente Loeblein Heinen (5ª Fase)


Tinha razão o pai do Chico: o problema do Brasil é a mentalidade do brasileiro. O país não avança é porque tem sempre gente querendo negar o óbvio! Não é que os hereges sejam maioria, não. Em geral o pessoal até tenta. Mas o mal é de formação, e daí o surgimento de tantos falsos beatos e Coriscos, que quebram a primeira janela, conseguem fazer mais alguns quebrarem outras, e nos obrigam a trocar o tempo que era o de realizar a verdadeira profecia por novos recursos ao Antônio das Mortes.

Tema 01: Escolas do pensamento econômico: Legados e Continuidades

Autor(a): Matheus Rosa (3ª Fase)


“A história do subdesenvolvimento latino-americano é a história do desenvolvimento do sistema capitalista mundial”[1]. Com essa frase categórica, Ruy Mauro Marini inicia seu ensaio “Subdesenvolvimento e Revolução”. Nela deixa explícito uma característica fundamental do desenvolvimento capitalista em escala global, a saber: O desenvolvimento dos países centrais só foi possível pela pauperização constante dos países periféricos, dentre estes os latinos-americanos.

Tema 01: Escolas do pensamento econômico: Legados e Continuidades

Autor(a): William (4ª Fase)


Como um homem de seu tempo, Karl Marx estava certo sobre o destino do capitalismo: caso o pauperismo continuasse a se alastrar pelo mundo, gerando desigualdades como vinha gerando no tempo da hegemonia do liberalismo clássico, não haveria sociedade mercantil que sobrevivesse por mais muito tempo. Entretanto Marx não previu um elemento fundamental: Keynes.

Sobre o primeiro tema de debate

Seria a história do pensamento econômico uma simples formalidade acadêmica, mero objeto de curiosidade de alguns economistas? De um modo geral, sabemos que a aparente ausência de aplicabilidade da história do pensamento econômico nas carreiras de grande parte dos economistas leva muitos a crer que sim e, ainda que não cheguem a taxar como inútil a “história das ideias” da Economia, também não costumam dar muito valor a tais estudos.

Tema 00: Economia Catarinense
Autor(a): Pietro Caldeirini Aruto; Leandro dos Santos

Analisar o atual comportamento do mercado de trabalho em Santa Catarina significa compreender sob quais condições um determinado contingente da população se relaciona com as atividades econômicas do estado. Essa relação, contudo, não possui determinantes exclusivamente internos ao território, ou seja, a evolução do mercado de trabalho catarinense responde ao movimento da economia brasileira e, em grande medida, reflete as tendências gerais do mercado de trabalho nacional.

Tema 00: Economia Catarinense
Autor(a): Berward Eicke Junior; Heloísa Souza de Oliveira; Jefferson Chaves da Silva; Nicole Luiza Kormann da Silva

O presente estudo foi desenvolvido buscando oportunizar maior entendimento sobre a dinâmica demográfica e socioeconômica da mesorregião do Vale do Itajaí, para tal foi coletado um conjunto de indicadores a fim de traçar um perfil desta região, cuja estrutura produtiva tem seu destaque no arranjo têxtil-vestuarista.

BartahTown

Aviso ao usuário


O Centro Acadêmico Livre de Economia (CALE) é a entidade máxima de representação específica aos estudantes de Economia da UFSC. Sua função essencial é defender os interesses estudantis.

Centro Acadêmico Livre de Economia | CALE - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Gestão de Web.