Na reunião de hoje (25/04) do Colegiado do Departamento, os estudantes tiveram suas demandas atendidas: conseguimos reprovar o Estágio Probatório do Professor Gilson!

Mas e o que isso significa para o curso? Primeiro, essa é certamente uma vitória dos estudantes que, junto da atuação firme do Centro Acadêmico, conseguiram evitar que um professor que, ao que tudo indica, desagrada a quase todos os estudantes, siga dando aula em nosso curso (o que possivelmente faria até se aposentar).

Além disso, gostaríamos de chamar atenção para outros dois pontos:

1) Não podemos nos calar! As denúncias dos problemas que ocorrem na sala de aula são fundamentais para que medidas possam ser tomadas. Por isso convidamos a todos/as a se aproximarem do CALE, tanto pessoalmente, quanto pela Ouvidoria;

2) Aulas ruins não podem ser consideradas normais! Sabemos que a Universidade é um ambiente altamente burocratizado, mas o que aconteceu hoje serve para demonstrar que, havendo o engajamento dos estudantes e uma representação firme e ativa, há meios para melhorar o nosso curso sim!

Pois bem: sempre que o Departamento de Economia e RI pretende contratar um novo professor, abre-se um período de 3 anos, em que o professor em questão entra em período de Estágio Probatório. Esse é o caso do Prof. Gilson da G. da Silva Júnior que, ao final do ano passado, teve seu Estágio Probatório aprovado pelo Colegiado do Departamento, que, a despeito das recomendações contrárias da gestão anterior do CALE, aceitou o parecer da Comissão Avaliadora, que dava como satisfatório o desempenho do professor, efetivando-o como docente da UFSC. Apesar disso, e em razão das más avaliações que o professor recebeu tanto nas consultas realizadas pela Comissão, quanto pelas gestões anteriores do CALE, a Comissão emitiu ressalvas à aprovação, que estaria condicionada à realização de cursos de reciclagem didático-pedagógicas por parte do Prof. Gilson no semestre 2018.1, além de exigir que ele entregasse relatórios mensais dessas atividades.

Eis que o primeiro mês do semestre passou e a única coisa que foi entregue ao Departamento foram reclamações por parte dos estudantes, sem nenhum relatório formal do Prof. Gilson. Tendo em vista que muitas reclamações sobre a didática do professor continuavam a chegar (agora também pela nossa Ouvidoria), o CALE foi atrás dessa questão, cobrando não somente a regularização da questão dos relatórios, mas também a reprovação do Estágio Probatório do Prof. Gilson, visto que ele não havia cumprido com o combinado. A reclamação formal completa que o CALE entregou à Comissão Avaliadora pode ser conferida aqui: https://goo.gl/PtokRP .

Hoje pela manhã, então, a questão levantada pelo CALE foi pautada na Reunião do Departamento, onde temos cadeiras para representar os estudantes de Economia. Logo que iniciada a sessão, integrantes da Comissão Avaliadora solicitaram regime de urgência para a rediscussão da avaliação do Estágio Probatório do prof. Gilson, visto que o prazo para alterações nele se encerraria nesta sexta-feira (27/04).

Não obstante, a Comissão Avaliadora optou por manter a decisão anterior, pedindo novamente que o professor comparecesse aos cursos determinados. Dito isso, a Professora Clarissa (de RI) leu as reclamações formais entregues pelo CALE e pelo CARI, declarando seu voto contrário ao que venceu dentro da Comissão. A partir daí, coube aos membros do CALE reiterar sua posição, colocando as reclamações gerais dos estudantes (que vão desde problemas com a didática do professor, até questões avaliativas graves) acima dos argumentos burocráticos contrários. Após recebermos o apoio de mais alguns professores, foi encaminhada a votação que, por fim, decidiu pela rejeição do parecer da Comissão!

A votação foi vencida por 22 x 7, com votos favoráveis ao Prof. Gilson somente dos professores: Carmen Gelinksi; Francisco Gelinski; Milton Biage; Iara Costa; Hoyêdo Lins, Fred Campos e o próprio Gilson. Todos os demais professores presentes, assim como os representantes do CALE, foram contrários à aprovação do Estágio Probatório. Quanto a isso, gostaríamos de agradecer especialmente às professoras Eva e Brena e aos professores Helberte e Daniel C. pelo apoio

Mas o que acontece agora? Conforme a Chefia do Departamento, a aprovação da ata dessa reunião do Colegiado será votada semana que vem e, tendo sido aprovada, seguirá, junto dos pareceres apresentados, para o deferimento do Pró-Reitor de Graduação, que, pelo que nos foi relatado, dificilmente rejeita decisões tomadas em Departamentos. Havendo esse deferimento e nenhum recurso extra, o prof. Gilson deixa de ser professor do Departamento.