Na última segunda feira, um ato foi chamado pelos estudantes da moradia estudantil em reivindicação à ampliação e manutencao da casa dos estudantes. Em um ambiente insalubre, ocasionado pela infestação de ratos, de esgotos a céu aberto, vazamentos de gás ao mesmo tempo que não dispondo da mínima infraestrutura na moradia, a permanência desses estudantes torna-se cada vez mais insustentável na universidade.

O direito à educação pública, gratuita e de qualidade deveria ser universal, e empecilhos econômicos não deveriam impedir um estudante de estudar, porém esta é a realidade de muitos. O CALE se põe totalmente ao lado dos estudantes, participando e lutando lado a lado pela manutenção e ampliação da permanência estudantil.

No mesmo dia do ultimo ato, estudantes de economia presenciaram, lamentavelmente, um grupo de outros estudantes na sala Multiuso ironizando e fazendo piadas com a situação, caracterizando os residentes da moradia estudantil como "imundos", responsabilizando-os pelas condições deploráveis que vivem e chegando ao cúmulo de comparará-los aos ratos que infestaram o local.

Repudiamos veementemente a atitude destes estudantes. Se deparar com este tipo de discurso de ódio e preconceito contra o pobre, ainda tão enraizado em nossos ambientes de convívio dos mais diversos, é triste e revoltante, não podemos aceitar que o grupo mais vulnerável de nossa universidade seja alvo de ataques desonestos e mentirosos. Devemos combater constantemente essas atitudes preconceituosas que são sintomáticas de uma sociedade que oprime economicamente e socialmente.

Continuaremos lutando em conjunto com os estudantes da moradia, por uma universidade onde todos os estratos sociais sejam abarcados e bem recebidos.

Foto: Ufsc à esquerda.